terça-feira, 10 de novembro de 2009

Mundo árvore

Mundo árvore
Confira todo o ecossistema que pode viver em uma árvore.
por Texto Yuri Vanconcelos
Uma única árvore pode abrigar um ecossistema complexo - das dezenas de seres vivos que habitam a água acumulada nas bromélias aos tucanos que fazem do caule seu ninho de amor. Abaixo, selecionamos como morada uma espécie fictícia da mata Atlântica e apresentamos os animais e as plantas que dependem dela para sobreviver.

MOSCA ANASTREPHA FRATERCULUS
As larvas começam a vida nos frutos. Quando crescem, não mudam de bairro: voam sempre ao redor das árvores da vizinhança.

ABELHA-CACHORRO
Não morde ninguém: é desprovida de ferrão. Constrói na copa das árvores ninhos de barro e cera parecidos com cupinzeiros e se alimenta da seiva das plantas.

FORMIGA CAÇAREMA
Milhares de espécies de formigas vivem em árvores. A caçarema se alimenta de gotículas de néctar eliminadas pelos ramos. Em troca, protege a planta de pragas como pulgões e cochonilhas.

GATO-MARACAJÁ
O mais arborícola dos felinos gasta as manhãs dormindo nos galhos. À noite, vai tocar a vida: come passarinhos, roedores e acasala. Mas a vida pode trazer surpresas: há sempre o risco de um ataque dos temíveis sagüis.

CUÍCA
Parente do gamba, esse pequeno marsupial costuma ser encontrado na copa das árvores, onde caça os insetos que gosta de comer. Raramente desce ao chão.

SABIÁ-CICA
Costuma ser visto na parte superior da copa. Mas, na hora de fazer o ninho, prefere buracos no tronco. Lá encontra suas comidas prediletas: sementes, insetos e larvas

MORCEGO-DE-FRUTAS
A vida passa pelo intestino do morcego: ele come frutas, voa e defeca as sementes. Das fezes, nascerá uma nova árvore.

VESPA
Também chamada de marimbondo, poliniza as fl ores das orquídeas e usa os galhos para pendurar seu ninho.

PERERECA MARSUPIAL
A fêmea carrega os ovos nas costas até que os girinos estejam prestes a nascer. Então ela os transfere para a água nas bromélias. E fi ca por lá para comer: o lugar é ótimo para caçar insetos.

ARANHA ARANEUS

Faz belíssimas teias geométricas na folhagem. E se aproveita da diversidade que habita as árvores para capturar suas presas.

IGUANA-VERDE

Quando fi lhote, ela tira dos galhos os insetos que come. Adulta, torna-se vegetariana: passa a se alimentar apenas de folhas.

RÃ-BUGIO

Esta perereca esverdeada usa os galhos para acasalar. A fêmea coloca os ovos nas folhas, que depois são dobradas em forma de tubo para proteger os futuros fi lhotes.

BICHO-PREGUIÇADE-COLEIRA

As folhas alimentam e protegem: quando não estão na boca, ajudam a preguiça a se camufl ar de predadores como a harpia e o gavião.

COBRA-DE-VEADO

Também conhecida como suaçubóia, vive enrolada em galhos. Lagartos, aves e roedores que aparecem quando bate a fome são mortos por constrição.

TUCANO-DEPAPO-AMARELO

Os tucanos fazem do tronco seu ninho de amor. É lá que eles se encontram. Ali o macho oferece um fruto. Se a corte é aceita, eles realizam a cópula. Tudo dura alguns segundos.

SAGÜI-DA-SERRA

Na hora das refeições, raspa o tronco com os dentes para se alimentar da seiva. Costuma viver em grupos de 5 a 15 animais.

MICO-LEÃO-DECARA-DOURADA

Vive trepado nas árvores e se alimenta de insetos e frutos. À noite, para se manter protegido de seus predadores, procura abrigo em buracos dos troncos.

PICA-PAU-REI

Considerado o maior picapau do Brasil, com 36 cm e 200 g, faz seu ninho em ocos nos troncos. Na hora das refeições, martela o tronco com força, perfura a casca e captura insetos com a língua pegajosa de ponta afi ada.

MONO-CARVOEIRO

Também chamado de muriqui, é encontrado somente na mata Atlântica. Chega a 15 kg – é o maior primata do continente americano.

BESOURO

Com cerca de 6 cm, vive na mata e sobe nas árvores para se alimentar. Come a resina que escorre de cortes no tronco ou frutas em decomposição.

CIPÓS

Crescem no solo e se agarram às árvores ainda pequenas. Quando elas crescem, os cipós pegam carona. Lá do alto, ajudam animais a se locomover entre as copas.

ARANHACARANGUEJEIRA

As caranguejeiras do gênero Lasiodora são as mais comuns na mata Atlântica. Fazem seus ninhos no pé das árvores, sob folhas secas.

LACRAIA

Dá expediente na casca do tronco, onde caça pequenos insetos. Chega a medir 7 cm.

CUPINS

Suas colônias abrigam milhares de indivíduos de paladar duvidoso: comem tanto a árvore viva quanto troncos mortos sobre o solo.

BORBOLETA

Tem asas tão verdes que se confundem com as folhas da mata. Frutas fermentadas servem como fonte de néctar que ela utiliza como alimento.

CIGARRAS

Quando as ninfas nascem, fi cam enterradas no solo e se alimentam da seiva da raiz. Adultas, sobem na vida: costumam ser vistas na copa.

BROMÉLIA

É a comunidade hippie da árvore: na água entre as folhas se reúnem insetos, larvas e qualquer um que queira compartir a bebida.

MACACOPREGO-DE-PEITOAMARELO

Faz o tipo caseiro: raramente sai das árvores. Ele come, reproduz e descansa nos galhos. Só vai ao chão para beber.

MINHOCA

Seu deslocamento cria galerias que ajudam a drenagem do solo. Assim, a água penetra na terra e alimenta a raiz.

MUSGO

Um centro de gosmas: o tapete verde sobre o tronco serve de alimento e abrigo para sapos, lesmas e caracóis. Mas pelo menos o efeito visual é bonito.

Fontes: Adriano Paglia, Afrânio Augusto Guimarães, Carlos Brisola Marcondes, Carlos Campaner, Carlos Einicker Lamas, Dante Pavan, Eduardo Wienskoski , Eliana Marques Cancello, Felipe Toledo, Flávio Gandara, Helenice Mercier, Jaime Aparecido Bertolucci, Luís Fábio Silveira, Odair Correa Bueno, Osmar Malaspina , Raquel Lima da Silveira, Rogélio Dosouto, Rosângela Branchini, Sandra Regina Visnadi, Tasso Leo Krugner.

Revista Superinteressante

Um comentário:

Mirse Maria disse...

O ecossistema deveria ser a utopia dos homens.

Uma simples formiga, que tantos matam com formicidas, protegem uma árvore.

E tantos outros exemplos citados, me leva a acreditar na sabedoria da Mãe Natureza, e na postura e preciosidade de uma Árvore.

O desmatamento é um crime hediondo.

Belíssima postagem!

Abraços e Parabéns, Eduardo!

Mirse

Geografia e a Arte

Geografia e a Arte
Currais Novos